A história de Duda Melzer

Eduardo Sirotsky Melzer é um famoso empresário conhecido por seu papel como CEO do Grupo RBS. Ele confiou a gestão diária da empresa a seu colega competente. Ao retornar do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer foi indicado como CEO da empresa.

Eduardo Sirotsky Melzer (Duda Melzer) Líder em tecnologia – Como presidente do Grupo RBS, Duda Melzer tem um papel fundamental no processo de tomada de decisão. Como líder ele entende que não pode fazer tudo sozinho e por isso compartilha com os outros a essência de uma organização saudável. Isso permite que outros se tornem futuros líderes e ganhem mais experiência. Como resultado, os líderes inspiram outros líderes e alcançam rápido crescimento.

Duda Sirotskiy Melzer é um bom ouvinte. Ele inspira honestidade ao encorajar os outros a dizerem a verdade, para que não digam o que esperam que ele diga. Por exemplo, ele gosta de provar que está errado. Essa qualidade permite que ele e os demais líderes de sua organização tenham mais visibilidade e respondam a perguntas que exijam atenção. Isso torna o Grupo RBS mais ativo e menos reativo.

é um bom ouvinte. Ele inspira honestidade ao encorajar os outros a dizerem a verdade, para que não digam o que esperam que ele diga. Por exemplo, ele gosta de provar que está errado. Essa qualidade permite que ele e os demais líderes de sua organização tenham mais visibilidade e respondam a perguntas que exijam atenção. Isso torna o Grupo RBS mais ativo e menos reativo.

Eduardo Melzer é um pensador independente que se tornou o precursor desta era digital por causa de sua incapacidade de seguir padrões ultrapassados. Este espírito empreendedor é fundamental não só para o crescimento econômico, mas também para a revolução tecnológica. Trouxe o crescimento tecnológico para o mercado sul-americano. Isso permite que outras empresas invistam de forma mais eficiente utilizando a plataforma de investimentos do mercado médio do Grupo RBS.

O Grupo RBS é uma empresa que tenta inspirar outras, tanto dentro como fora da empresa. Tem sido muito bem sucedida como a maior empresa de mídia do Brasil. A gestão de Duda Melzer, com 6500 colaboradores, é a chave para o sucesso do Grupo RBS. Este ambiente amigável inspira outros a terem sucesso como famílias e a trabalharem juntos para desenvolverem outros. Só podemos esperar bons resultados para o Brasil.

Eduardo Sirotsky Melzer é um empresário sul-americano, talvez mais conhecido como Duda Melzer. O empresário esteve envolvido em várias empresas importantes nas últimas décadas, mais recentemente como Presidente do Grupo RBS e da EB Ventures, empresa venture que ele fundou em 2012, e que ele agora preside e é CEO.

Nos últimos anos, o empresário Duda Sirotsky Melzer tem recebido inúmeros prêmios por grande parte de seu trabalho. A Ernst & Young lhe concedeu o título de “Empresário do Ano” e é um dos diretores do Cambridge Institute for Family Business.

Ao longo de sua carreira, o empresário e comunicador Duda Melzer adotou vários hábitos e hábitos que o ajudaram a permanecer produtivo em um ambiente de trabalho muitas vezes imprevisível. Um dos momentos mais marcantes é o início do dia com um treinamento de 5 horas, que ele acredita que a ajudará a permanecer focada e flexível ao longo do dia. Aponta também que há muitas coisas que outros empregadores podem entender para garantir que eles permaneçam o mais produtivos possível.

Bolsa de valores do Brasil registra 2 milhões de investidores em abril deste ano

Após um levantamento realizado pela B3 (Bolsa de Valores do Brasil), foi observado que houve um aumento no número de investidores que hoje é de 2 milhões de operadores ativos. Os dados fazem parte de um estudo realizado pela B3 que buscou identificar o perfil demográfico do novo investidor da bolsa. As notícias sobre o crescimento de investidores brasileiros na bolsa vem sendo divulgadas desde o ano passado, ano em que a bolsa registrou o seu primeiro milhão de investidores cadastrados.

O estudo focou em identificar quais são os ativos de renda variável de maior preferência dos novos investidores que estão chegando. A opção de papéis, contratos futuros, BDRs, fundos de investimentos e ETFs foram as mais procuradas. Mesmo com o atual cenário de pandemia, o número de investidores na bolsa cresceu em comparação com o mesmo período no ano passado. O primeiro milhão de investidores foi alcançado em meados de abril do ano passado, equivalente a um aumento de 100% no número de cadastros este ano.

Um dos motivadores para este número no aumento de investidores em renda variável no Brasil é a baixa taxa de juros básica que está em 3% em maio deste ano, a pouca rentabilidade nos investimentos de renda fixa e a maior divulgação dos ativos de renda variável – em especial os contratos futuros de índice e de dólar. Com a queda no preço dos papéis de grandes empresas devido à pandemia de coronavírus no Brasil e no mundo, houve uma maior procura por ativos que desvalorizaram com este movimento, o que fez mais investidores optarem pela compra dessas ações.

De acordo com a B3, o crescimento no número de investidores segue uma mudança estrutural que vem ocorrendo no mercado de capitais brasileiro. O perfil da maioria dos novos investidores é conservador, cauteloso, e de aporte financeiro mais baixo. Mesmo com uma grande elevação no número de CPFs registrados na B3 em menos de dois anos, o volume de negócios na bolsa teve um aumento de 30% em comparação com 2017. O volume de negócios de pessoas físicas teve um aumento de R$ 260 bilhões neste período.

De acordo com o estudo, cerca de 30% dos novos investidores que passaram a negociar em renda variável em março deste ano, realizaram o primeiro investimento com menos de R$ 500. Até o mês de março deste ano, 54% dos investidores ativos tinham uma carteira de investimentos com menos de R$ 10 mil.

Open Banking será utilizado no Brasil

O Brasil passará a adotar o open banking, que é o compartilhamento de dados e serviços de bancos, desde que esteja autorizado pelo cliente. Haverá uma união entre as diferentes plataformas e instituições de finanças a partir de uma estrutura tecnológica.

As tecnologias que serão utilizadas facilitarão o acesso aos dados dos clientes e isso poderá, de certa maneira, ajudar a uma oferta de crédito, caso o cliente não tenha recursos suficientes no banco e precisem de um fôlego financeiro no cheque no especial.

O open banking poderá irá possibilitar que as empresas ofereçam serviços mais abrangentes para o cliente como comparativo de preços, o que são boas notícias. O mundo todo está estudando a medida de acordo com as diferentes dimensões que a mudança pode acarretar.

Existe o objetivo de dar maior possibilidade para o cliente ao mesmo tempo que seus dados permaneçam em sigilo. A decisão do compartilhamento de dados ficará nas mãos do público. Além disso, o projeto quer deixar mais simples a eficiência do sistema financeiro.

Aconselhamento, serviços financeiros, gestão financeira e de transações de pagamento deverão ser mais eficiente para o público dos bancos. As informações que serão repassadas terão um serviço padronizado entre os serviços, incluindo pagamentos e demais operações que estão autorizadas pelo Banco Central.

Haverá um cronograma para a implementação do open banking que terá início em 30 de novembro de 2020 e terá a conclusão em 2021. O público será informado sobre quais instituições financeiras estão participando do open banking. A comunicação será feita em canais de atendimento e de produtos dos serviços relacionados às contas ou operações de crédito.

Quanto mais acesso às informações particulares do cliente, maior deverá ser as facilidades para o cliente. Existe a necessidade de o cliente entender se os benefícios que ganhará, serão úteis para o que ele precisa no dia a dia.

Caso não seja, o compartilhamento de informações será útil somente para os negócios dos bancos que terão mais dados sobre os seus consumidores e assim poderão aplicar estratégias de marketing para aumentar ainda mais a sua carteira de clientes, com base em informações que já foram compartilhadas, mesmo que isso não tenha alguma mudança na vida que as compartilhou.

Aluguel de veículos recua 90% com motorista de aplicativo alugando menos

Os aluguéis de veículos tiveram uma grande queda no Brasil devido à pandemia de coronavírus e pelo isolamento social. As notícias sobre o setor apontam que dos 200 mil veículos alugados para motoristas de aplicativos, 160 mil foram entregues por falta de demanda devido à quarentena, somados ao rodízio de veículos, dentre outros fatores. O maior motivo foi a redução da demanda pelo transporte e desta forma, a maioria dos motoristas com carro alugado tiveram que abrir mão do veículo por falta de renda.

De acordo com a Abla (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis), “existe um grande movimento das locadoras para dar suporte aos motoristas de aplicativos na retomada das atividades e outros profissionais do volante, pois eles somam seus principais clientes”. Uma das alternativas da Abla é dar descontos para aluguéis de veículos para motoristas de aplicativos. Até o início deste ano, as locadoras foram o destino de uma grande parte das vendas diretas de automóveis novos e semi-novos da compra feita diretamente do fabricante, sem a participação de intermediários (lojas).

O crescimento na frota de veículos de locadoras estava sendo puxado por aluguéis de veículos utilizados por empresas e por motoristas de app, que turbinou esse movimento até o início da pandemia. No total, segundo a Abla, as locadoras de veículos possuem 997.416 veículos regulamentados para serem utilizados por motoristas de aplicativos, empresas e para as pessoas em geral.

Devido à pandemia, a grande maioria dos segmentos de aluguéis tiveram uma baixa, revela a associação. Nas locações diárias, que podem ser realizadas por qualquer pessoa, o recuo foi de 90% desde o início da pandemia. As locadoras possuem 480 mil veículos prontos para serem utilizados, destes, 430 mil estão parados nos pátios à espera de clientes.

Os contratos mensais tiveram um impacto reduzido em comparação com as outras modalidades do negócio. Esse tipo de contrato também é conhecido como “carro de assinatura”, que são aluguéis de veículos zero quilômetro com prazo mais longo, geralmente destinado a frotas de veículos de empresas. A Abla estima que até o final da pandemia o setor tenha uma melhora com a retomada gradual das atividades e na locação de veículos.

Inflação baixa com dólar é resultado de momento econômico atual

O dólar está cada vez mais se valorizando. No dia 13 de maio, a cotação chegou a R$ 5,84. Dependendo do que pode acontecer, o valor deverá chegar até R$ 7, ou então abaixar para R$ 4,00. A oscilação vai depender da economia do país diante das notícias sobre a pandemia do coronavírus.

Em aproximadamente cinco meses, houve um salto de 40% na valorização da moeda, sendo de R$ 4,00 para R$ 5,90. Ainda assim, os preços de produtos e serviços que têm relação com a moeda não sentiram o impacto da valorização do dólar. Isso se deve a alguns fatores.

Quando as pessoas estão com menos renda, então o consumo não tem mais o movimento que tinha antes, isso faz com que os produtos estocados que foram comprados com o dólar mais barato estejam à venda ainda. Os produtos que sofreram a alta do dólar não tiveram aumento porque os empresários não conseguem repassar os valores para os consumidores em uma época de dificuldade financeira.

No passado, a alta do dólar sempre fez os preços no Brasil subirem, isso não está acontecendo atualmente por causa da situação econômica que não apenas o Brasil, mas o mundo vive. Produtos como petróleo e carne, por exemplo, têm produção brasileira, porém recebem suas cotações definidas em dólar.

O isolamento social se torna o principal responsável pela recessão da economia, e isso causa menos clientes comprando. O pouco consumo e o estoque ainda permanecem em um nível que não muda.

Diversos setores da economia passaram a acreditar na capacidade de uma gestão mais controlada do Banco Central. Especialistas do ramo afirmam que, se o dólar cair, haverá uma volta do preço na casa dos R$ 4. O cenário atual da economia mundial desperta o interesse de muitos investidores na moeda americana.

Existe o perigo de a inflação voltar quando a situação financeira do país melhorar. No Brasil, o repasse cambial é um dos maiores da América Latina, sendo por volta de 6% a 8%, isso quer dizer que em cada 10% de desvalorização do real, ainda existe um aumento de 0,6 a 0,8 por cento no prazo máximo de um ano.

José Auriemo Neto, sob o comando do grupo JHSF

José Auriemo Neto, sob o comando do grupo JHSF, no Brasil – A JHSF é uma empresa brasileira de incorporação imobiliária liderada pelo empresário Jose Auriemo Neto. No ano de 2018, a Beauty of Fashion nomeou José Auriemo Neto, CEO do grupo JHSF, uma das pessoas mais influentes da indústria da moda atual. O empresário ganhou essa honra por ter contribuído para trazer as melhores marcas de moda para o Brasil, revolucionando sua indústria da moda. Além de seu trabalho substancial no setor de varejo, José Auriemo Neto supervisionou o desenvolvimento de edifícios de escritórios, hotéis e diversos desenvolvimentos públicos. O grupo JHSF foi a primeira empresa brasileira a se especializar em receita recorrente.

Em 2014, José Auriemo Neto levou o grupo JHSF a construir a primeira loja do Brasil chamada Catarina Fashion Outlet. O projeto de construção para isso incluiu a construção do Aeroporto Executivo de São Paulo Catarina. Nesse mesmo ano, o empresário José Auriemo Neto deixou de ser CEO e se tornou presidente do conselho. Ele foi sucedido no cargo de CEO por Eduardo Câmara, que liderou o cargo até 2018, quando foi sucedido por Alonso de Oliveira.

Nos últimos anos, o grupo JHSF também se expandiu para o Uruguai e os EUA. Em 2017, o JHSF foi avaliado em US $ 1,20 bilhão. O grupo JHSF foi fundado no ano de 1972 pelos irmãos Fabio e José Roberto Auriemo. Naquela época, era conhecido apenas como JHS. Os dois lideraram juntos até o ano de 1990, quando uma diferença distinta de visão os levou a dividi-lo em duas empresas: sendo nomeadas JHSF e JHSJ. Sua primeira incursão no setor de varejo foi o Shopping Metro Santa Cruz, que apresentou a primeira estação de metrô do Brasil em um shopping. O empresário José Auriemo Neto tem elevado o grupo JHSF a níveis de excelência.

Se aproxima o prazo final para quem precisa regularizar a sua situação eleitoral

O dia 6 de maio é o prazo final para quem não estiver em dia com o seu título de eleitor regularizar a situação. Depois dessa data, as pendências nesse sentido resultarão em consequências como não poder votar nas próximas eleições — que acontecerão em outubro deste ano para definir novos (ou reeleger) prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios brasileiros.

Outros impedimentos, por conta do cancelamento do título eleitoral, serão não poder tirar passaporte, não pode tomar posse em cargos públicos e não poder fazer matrícula em universidades públicas, dentre outras restrições.

“Com o fim do prazo, o cadastro eleitoral será fechado e nenhuma alteração será permitida, somente a impressão da segunda via do título será autorizada. A medida é necessária para que a Justiça Eleitoral possa saber a quantidade de eleitores que estão em dia com o documento e poderão votar”, explicou o portal da Agência Brasil, em matéria sobre o assunto. Outro alerta feito pela reportagem é que “o prazo também deve ser observado pelos jovens de 16 anos que vão votar pela primeira vez e querem solicitar o documento”.

Ainda conforme as notícias do texto da Agência Brasil, em 2019, 2,4 milhões de títulos foram cancelados justamente porque os cidadãos brasileiros que são eleitores deixaram de votar e justificar a ausência por três eleições consecutivas — lembrando que cada turno se trata de uma eleição.

“Mas, como regularizar a minha situação?”

Quem precisa regularizar a situação em relação ao seu título de eleitor, deve ir até o cartório eleitoral mais próximo à sua casa, preencher o chamado Requerimento de Alistamento Eleitoral (RAE) e apresentar um documento oficial com foto, isso até o dia 6 de maio. Vale pontuar que uma multa no valor de R$ 3,51 será cobrada por cada turno que o eleitor deixou de comparecer. Em caso de dúvida, cada eleitor pode verificar a sua situação no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Apesar dos transtornos causados pela pandemia do novo coronavírus [COVID-19], o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que o calendário dos procedimentos preparatórios das eleições está mantido”, destacou a Agência Brasil.

O marketing multinível: o que é, como funciona e dados a respeito.

As notícias do mercado se tornam cada vez mais atraentes para iniciantes, há sempre novidades relacionadas a novas formas de vender, trocar ou comprar e para isso é necessário ter um mercado aquecido sempre. As várias formar de vender trouxeram à tona o marketing multinível, esse tipo de recurso, é algo de extrema importância para novos empreendedores, pois facilita muito o processo de se obter lucros.

Pensemos no multinível como uma rede enorme de pessoas interessadas em vender produtos. Cada pessoa dessa ganha pela sua venda e pela venda de recrutados por eles. Sendo assim aqueles que são recrutados podem fazer o mesmo, vender e chamar mais gente para trabalhar, obtendo comissões palas vendas feitas por eles. Com o crescimento exacerbado de uma dessas redes criadas chega um momento que esse indivíduo para de receber por mais afiliações, pois é de suma importância que não exista empreendedores que baseiem seus lucros apenas em comissões e esqueçam as vendas.

Como é um segmento em ascensão muitos problemas, quanto a dados, podem aparecer, mas ao que tudo indica esse crescimento que está sendo apresentado nos últimos anos é real. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), a quantidade de capital acumulado por esse tipo de marketing chega a mais de 40 bilhões de reais, apenas no ano de 2016. Mas agora tratando de empresas que praticam isso é importante destacar alguns fatores como: bonificação, treinamento, benefícios, qualidade dos produtos… enfim uma quantidade enorme de variáveis que podem prejudicar o desenvolvimento desse tipo de estratégias nas empresas.

Se tratando de empresas que trabalham com esse tipo de negócios temos a Jequiti, Herbalife, Amway. Que estão diretamente ligadas a esse processo.

É um mercado ainda em crescimento, mas que já supera números de muitas outras estratégias que tinham esse mesmo objetivo, e é a partir desse tipo de pensamento que empreendedores que aderem a esse mercado trabalham. É uma ótima forma de convencer alguém a entrar na sua equipe, dados e projeções.

O marketing de conteúdo no Brasil: vantagens e desvantagens.

O Brasil é um país que cada vez mais adota a criação de conteúdo para rede como forma de negócio. No ano de 2019 as mudanças continuaram imprimindo uma sensação de maior adesão, por parte dos empresários, nessa área.

Sabemos que adesão de empresas a esse mercado vem crescendo exponencialmente. No ano de 2019, 67% das empresas adotavam marketing de conteúdo como estratégia para negócios e das que não adotavam 80% pretendiam aderir. Para se ter uma ideia da importância que estar sendo dada a esse segmento, negócios que não adotam essa ferramenta possui em média uma geração de leads menor.

Alguns dados são de suma importância para pessoas que pretendem aderir a estratégia, por exemplo, uma pesquisa chamada Content Trends, destacou a quantidade de pessoas que utilizam conteúdo online. O resultado foi que mais de 97% dos entrevistados utilizavam e 89% por meio do smartphone.

Além desses fatores citados a cima, há notícias que revelam um aumento no investimento para o marketing de conteúdo. Não há um esclarecimento para tamanha projeção a não ser a facilidade com que um conteúdo na web se espalha. Atualmente poucas pessoas tem medo de se entregar a esse mercado, por ser a internet um modo diferente de investir em sua empresa, muitos profissionais, não só brasileiros, preferem ficar naquilo que lhes é seguro.

Como o Google é o campeão dos mecanismos de pesquisas, adesão de profissionais que estejam qualificados par essa ferramenta cresceu bastante. Sim, a maneira mais rápida de se investir em sua empresa é a contratação de pessoal qualificado para certas áreas desse segmento.

Assim como as notícias mostram, quase que diariamente, os empreendedores obtiveram bastante sucesso com o marketing que isso geral. Mas as mudanças quase que diárias nos mecanismos de pesquisas faz com que seja sempre necessário se modernizar, por isso a importância que deve ser dada a profissionais qualificados.

O marketing de conteúdo e a disponibilidade para empreendedores e usuários

Quando o assunto é negócios certos segmentos desse ramo ganham destaque. O marketing digital tem a premissa de unir pessoas da rede, ajudando em compras, vendas e trocas, além de gerar empregos e um certo desenvolvimento para uma região, mas apesar da grande variedade de estratégias nesse segmento muitos empreendedores não adotam esse recurso para desenvolvimento de sua empresa ou produto.

Seja por medo, ou por falta de adequação há situações que levam pessoas se sentirem pouco seguras com esse processo de modernização.

A verdade é que nos últimos anos que esses números cresceram bastante, seja por notícias vantajosas para o segmento ou por incentivos a adoção. É claro, com a crescente onda de interação de pessoas com a rede isso tornou-se mais fácil.

O Google, maior ferramenta de pesquisa do mundo (e de estratégia de marketing também), possui um volume de busca mensal superior a 100 bilhões de pesquisas, com projeções de crescimentos corriqueiramente observadas. Sendo essa talvez a maior fonte de estratégias do mercado, a complexidade dela fornecer uma boa adesão de usuários e empresários, já que ambos se beneficiam com a formar que a ferramenta trabalha.

Para o empresário é a garantia que os bons conteúdos que ele possa vim a postar em seu site ou blog, se realmente bem trabalhados, irão lhe render lucros durante muito tempo, apesar das mudanças que podem ocorrer nos algoritimos do Google, que muitas vezes continua a beneficiar esse criador de conteúdo. As empresas geralmente adotam estratégias para essas mudanças, no que compete a difusão da imagem de seus produtos.

Para o Usuário é a importância que essa ferramenta dá a criação de conteúdo destinado a certa pessoa ou grupo. Levando em conta que simples termos podem ligar o usuário a um site que relacione sua pesquisa com sua necessidade de maneira rápida, simples e bem elaborada. Com todos esses benefícios já e possível perceber a importância que esse mercado tem tomado, mas ainda são poucas as mudanças citadas aqui.