Saiba mais sobre a compra de empresas argentinas por parte da CVC Turismo, fundada por Guilherme Paulus

A Argentina foi o país escolhido por dirigentes da CVC Turismo para a compra de duas companhias. Criada pelo empreendedor Guilherme Paulus, a companhia brasileira passou a comandar 60% das duas empresas adquiridas. Os nomes das corporações em solo argentino são Biblos e Ola Transatlántica. Juntas elas foram responsáveis pela movimentação de quase 20 milhões de dólares, quando foram compradas pelo conglomerado em questão.

Nos dias atuais, o executivo que preside a CVC Turismo é Luiz Falco. Ele esclareceu que, embora as condições da economia argentina não sejam favoráveis à realização de diversos negócios, neste caso específico, elas foram propícias. A declaração surgiu em meio a uma entrevista que o executivo concedeu à versão digital do Valor Econômico. Ele ainda acrescentou que desde o início de 2018 especulava-se a compra de companhias desse porte, a fim de expandir a corporação para além do território brasileiro.

Acrescentar maior valor às operações da CVC Turismo foi um dos propósitos almejados pela diretoria, salienta Guilherme Paulus. Tanto na época em que as empresas foram compradas, quanto nos dias atuais, a companhia brasileira já possuía o empresário no cargo de presidente do Conselho de Administração da organização. Além de aumentar o alcance da empresa, o executivo destacou o fato desta ingressar no mercado internacional. Assim sendo, Luiz Falco frisou que a consolidação das compras seria representada em documentos de ordem financeira do grupo.

Das aquisições, que movimentaram vultosas quantias, Luiz Falco espera que haja um retorno expressivo. O presidente da CVC estipula que cerca de 17 bilhões de reais possam integrar o faturamento da companhia. Para o ramo de turismo, Falco disse acreditar que os reveses econômicos da Argentina não abalem tanto as operações do meio. Ele vê as oscilações cambiais como algo que não irá se instalar permanentemente no segmento.

Em relação às ofertas de pacotes turísticos para brasileiros, Falco pontua que houve uma espécie de barateamento dos preços. Isso, segundo ele, pode ser percebido por meio de transações turísticas que podem ser feitas pela metade dos valores costumeiros. Já em relação aos turistas argentinos, ele esclarece que boa parte prefere viajar portanto dólares, ação que tende a favorecer o segmento.

O ingresso no segmento turístico argentino só seria rentável se o grupo brasileiro conseguisse efetuar a compra de mais de uma companhia, destacou Falco. Tal medida se mostrou fundamental para que a porção argentina do negócio conseguisse se manter economicamente alinhada com a estrutura presente no Brasil, informou o executivo da CVC Turismo. Ele também comunicou que foi necessário esperar até que o melhor momento econômico para fechar negócio chegasse.

Os dirigentes da CVC Turismo, ao fazerem prospecções sobre o desempenho da companhia, agora aumentada em razão das aquisições, esperam que esta consiga se tornar a terceira maior de todo o território argentino. Caso tal estimativa venha a se concretizar, as vendas de pacotes turísticos e demais serviços gerariam para o grupo fundado por Guilherme Paulus, uma lucratividade que ultrapassaria 500 milhões de dólares.

O aumento da companhia, conforme Falco, traria benefícios aos turistas que partem do Brasil, uma vez que estas pessoas poderiam viajar com preços mais em conta. Além dessa questão, a empresa fundada por Guilherme Paulus também agiria no sentido de suscitar melhores condições de operações para todas as companhias aéreas que estivessem vinculadas às atividades do grupo, finaliza o presidente da CVC Turismo.

Bilionário brasileiro do setor de turismo, Guilheme Paulus mira hotelaria

Após anos atravessando uma das piores crises econômicas de sua história, o brasileiro finalmente começa a respirar aliviado e sentir os primeiros sinais de recuperação. O início do ano de 2019 tem sido de grande otimismo na economia. Apesar de todo o aperto recente, alguns não deixaram de investir e expandir seus negócios. Exemplo disso é do empresário e empreendedor do setor de hotelaria e turismo Guilherme Jesus Paulus. Guilherme Paulus garante que mesmo em crise o brasileiro não deixa de viajar, pode até mudar o destino, mas ficar em casa nunca. Como acontece com vários setores, destinos turísticos entram e saem de moda. O dólar alto pode tornar destinos como Miami intimidadores, mas torna Foz do Iguaçu ou Gramado excelentes opções.

E se há alguém que entende de viagens, esse alguém é Guilherme Paulus. Atuando no ramo desde os 22 anos, na década de 70, na agência de viagens CVC. Quatro décadas depois, a empresa que começou atendendo a filiações de trabalha dores em no ABC Paulista se tornou a maior agência de viagens das Américas. Nos anos recentes, a empresa sozinha transportou mais de 4 milhões de pessoas para mais de uma centena de destinos. Não é incomum ver a marca estampada por aí como, por exemplo, em sua mais de 700 lojas no país ou nas mochilas dos formandos.

Mas não é somente no ramo de turismo e viagens onde atua Guilherme Paulus. O empresário também está buscando cada vez mais espaço no setor de hotelaria, com o grupo GJP hotéis. O grupo que recebeu como nome as iniciais de seu fundador, conta com 6 hotéis próprios e administra outros 7, localizados em diversas regiões do Brasil em cidades como São Paulo (SP), Gramado (RS), Maceió (AL), Recife (PE), Salvador (BA), Aracaju (SE), Foz do Iguaçu (PR),Porto de Galinhas (PE) e Rio de Janeiro (RJ. E novos empreendimentos nos estados de Minas Gerais, Pará, Distrito Federal, Rio de Janeiro e Paraná. O grupo detém as bandeiras Wish (5 estrelas), Prodigy (4 estrelas) e Linx (3 estrelas) e um faturamento acima dos 250 milhões. Até o ano de 2016, seu plano de investir em mais 19 hotéis estava congelado. Com o retorno do crescimento econômico, os planos do empresário podem voltar a acontecer.

Toda essa longa trajetória de trabalho e sucesso rendeu ao empresário frutos. Em 2009 Paulus vendeu o controle da CVC à americana Carlyle, por um valor equivalente a um bilhão de reais. Esse feito colocou-o dentro da lista de Bilionários da revista Forbes Brasil. Desde então, ele tem se focado em expandir seu grupo de hotéis. Para Guilherme Paulus, empreender e investir é como estar em um jogo de videogame, onde é fundamental planejar porém é impossível evitar surpresas no caminho. Apesar de todas as dificuldades, o empresário garante “Quando você acredita no seu negócio e tem um objetivo definido, você consegue vencer” e complementa “Você tem que investir para ser o melhor todos os dias porque a vida é uma eterna competição.”

Mesmo assim não pensa em parar. “A minha vida de hoje continua com a mesma intensidade de trabalho e lutas que a do meu começo de CVC, aos 22 anos. Isso me dá prazer, me ativa”. E termina: “Ainda há muito a ser feito”.

https://www.crunchbase.com/person/guilherme-paulus

As novas ambições de Guilherme Paulus, o empreendedor do ano em serviços

Presidente de uma das principais rede de hotelaria do país, a GJP Hotels e Resorts, Guilherme Paulus tem novas pretensões para os próximos anos, deixando evidente que sua vontade de investir é cada vez maior. O empresário vai lançar um luxuoso hotel na cidade de São Paulo, no bairro Cidade Jardins, entre os anos 2020 e 2021, no mesmo edifício em que operava a agência de publicidade DPZ. O novo hotel contará com 65 apartamentos, um rooftop, uma área destinada para eventos e um restaurante. A ideia de Paulus é sempre oferecer aos clientes o melhor serviço de hotelaria, por isso, o grupo GJP trabalha com quatro tipos de bandeira, a começar pela Linx (3 estrelas) até a Wish (5 estrelas), além da linha premium Saint Andrew, localizada em Gramado, RS.

Na comemoração de 35 anos do VISITE SÃO PAULO, constituído como Fundação 25 de Janeiro, Guilherme Paulus publicou uma carta aberta demonstrando como setores de turismo, viagens e eventos são importantes para o país, bem como ressaltou a significativa participação dos mais de 700 associados que ajudaram no resultado positivo dessa conquista, com a movimentação do turismo, melhoria contínua da prestação de serviços e o aumento do número de visitantes. Por fim, em carta o empresário destacou as ações de marketing e conteúdo, que contribuíram favoravelmente para incrementar a economia e gerar novos negócios, bem como a realização de feiras do trade no Brasil e em outros países.

Com mais de 70 anos de idade, Guilherme Paulus ainda tem muita energia para investir, com uma trajetória de dar inveja a qualquer empreendedor, principalmente no setor de serviços. E este sucesso começou quando o empresário tornou a CVC a maior operadora de turismo do Brasil, avaliada em R$ 6,35 bilhões. Posteriormente, vendeu uma parte da CVC e passou a se dedicar ao grupo GJP, investindo R$ 600 milhões. A rede de hotéis já possui 20 unidades em território nacional, com apoio de mais de 2 mil empregados, todos treinados para oferecer o melhor atendimento aos 92 mil clientes que já se hospedaram na rede.

Para incrementar o sucesso da GJP, Guilherme Paulus comprou a B2W Viagens, pertencente a Submarino Viagens, e conseguiu assim triplicar suas operações pela internet. O empresário também transferiu a companhia aérea Webjet para a Gol, numa transação de R$ 70 milhões, bem como comprou a Rextur Advance, a Trend, a Visual Turismo e o Experimento Intercâmbio, num total de R$ 1 bilhão. Todas as empresas movimentam aproximadamente R$ 10 bilhões por ano e transportam mais de 9 milhões de pessoas.

Toda esta dedicação não poderia trazer outro resultado senão o sucesso. A World Golf Awards 2017 elegeu o hotel Wish Foz do Iguaçu, PR, como o melhor hotel de golfe do Brasil. O resort possui uma área total de 2,5 milhões de metros quadrados e é considerado uma das obras mais luxuosas da GJP. Guilherme Paulus já aplicou mais de R$ 80 milhões em hotéis, utilizando-se de terrenos “excedentes” para fazer novos investimentos e aumentar ainda mais o capital. O empresário está sempre atento e não perde nenhuma oportunidade.

Wish Resort, de Guilherme Paulus: mais uma vez o melhor de acordo com o WTA

O Wish Resort de Foz do Iguaçu, no estado do Paraná, foi reconhecido pela segunda vez como o “Melhor Resort para Famílias da América do Sul”. O título foi concedido durante a 25ª edição do World Travel Awards, o maior prêmio do turismo mundial.

A premiação foi realizada no dia 15 de setembro de 2018, durante uma solenidade em Guayaquil, no Equador, que envolveu os maiores nomes do turismo internacional. Entre eles, claro, não poderia faltar Guilherme Paulus, fundador da GJP Hotels & Resorts, que administra o Wish Resort de Foz do Iguaçu.

O empresário de 69 anos é formado em Administração de Empresas e possui quase cinquenta anos de atuação no setor do turismo. Hoje, Guilherme Paulus é o Chairman da GJP Participações, que controla a GJP Construtora e Incorporadora e a GJP Hotels & Resorts.

Enquanto a GJP Construtora e Incorporadora foca-se na construção de condomínios residenciais de alto padrão em áreas com grande movimentação turística, a GJP Hotels & Resorts administra atualmente catorze resorts e hotéis distribuídos por todo o país, sendo por isso considerada, hoje, como uma das maiores redes hoteleiras nacionais dedicadas ao lazer e eventos.

Paulus é, também, o fundador da agência de viagens CVC, uma empresa de capital aberto na Bovespa que é hoje considerada e a maior operadora de viagens da América Latina por representar a maior rede de varejo de turismo do país.

Sobre o Wish Resort de Foz do Iguaçu

De bandeira cinco estrelas, o Wish Resort de Foz do Iguaçu foi adquirido pela GJP Hotels & Resorts de Guilherme Paulus em 2009 e, após passar por uma grande reestruturação, possui hoje uma área de 225 hectares que reúnem o melhor em lazer, diversidade gastronômica e diversão para toda a família.

O resort conta com sete piscinas para crianças e adultos, adega, jacuzzis, salão de beleza, parede de escalada, trilhas, pista de cooper, arvorismo e três restaurantes: o Frontera Sur, que reúne as melhores carnes da Argentina; o italiano Forneria di Como; e o Golf Grill.

O Wish Resort de Guilherme Paulus também oferece um campo de golfe profissional de oitenta hectares com dezoito buracos e um dos maiores Kids Club do país, além dos seus 215 apartamentos que sempre costumam ficar lotados em época de fim de ano.

Portanto, caso você tenha chegado a essa reportagem porque está procurando por um bom hotel para passar o Ano Novo ou o Natal com a sua família, talvez seja uma boa ideia fazer uma visita.

Sobre o World Travel Awards

Considerado o Oscar do turismo mundial, o World Travel Awards possui um método rigoroso de seleção de seus premiados. Primeiro os indicados passam por uma votação pública que leva em conta aspectos como o desempenho dos negócios, a infraestrutura, a excelência no atendimento ao cliente e o desenvolvimento do produto.

A primeira vez em que o Wish Resort de Guilherme Paulus ganhou um prêmio do World Travel Awards foi no ano de 2016, na categoria “Melhor Resort do Brasil”.

Guilherme Paulus fala sobre a CVC e a GJP, suas grandes realizações

O empresário brasileiro Guilherme Paulus (66), criador da gigante do ramo do turismo CVC, conta como construiu seu império e afirma que ainda quer mais: trabalha como quando iniciou o seu negócio, vendendo pacotes de viagens para o litoral paulista na região do ABC (Santo André, São Bernardo e São Caetano).

Atualmente, Paulus não é mais o sócio majoritário da CVC, tendo vendido a companhia pelo valor aproximado de R$ 1 bilhão, e, com isso, entrado para a lista de bilionários brasileiros da revista Forbes – possui uma fortuna estimada em R$ 1,9 bilhão, o que lhe possibilitaria uma “aposentadoria” tranquila. Porém, Guilherme Paulus quer mais.

O empresário ainda trabalha para a CVC, da qual ainda possui 25% das ações, e, mais recentemente, inseriu-se no ramo da hotelaria, por meio da GJP Hotels & Resorts. Batizado com suas iniciais (Guilherme Jesus Paulus), o grupo empresarial partiu da ambição de Paulus de tornar-se o maior hoteleiro do Brasil.

Desta forma, a GJP administra, hoje, 13 empreendimentos, sendo 6 deles próprios. Possui 3 bandeiras, que variam conforme os preços e a qualidade – além da experiência de hotel, claro – que o cliente deseja: Wish (5 estrelas), Prodigy (4 estrelas) e Linx (3 estrelas). A ideia é expandir cada vez mais, em um grupo empresarial que já movimenta um montante de R$ 500 milhões por ano.

Além dos hotéis já existentes, Guilherme Paulus conta que pretende erguer em torno de 20 novos locais, contando com um aporte de R$ 1 bilhão para tal – e adentrando ainda mais fortemente neste ramo da hotelaria, conforme o empresário sonha.

Quando perguntado se pretende também vender a GJP – tal qual fez com a CVC -, Paulus adota o bom humor, dizendo que só não vende a mulher, o filho e as netas. Na sequência, explica que, em verdade, o que fez com a CVC foi mais uma abertura de capital, uma vez que ainda detém aproximadamente um quarto da empresa em seu nome.

Em relação à empresa de turismo, possui mais de 1000 lojas em operação, e o empresário afirma que, mesmo com a crise em que estamos inseridos, o brasileiro não parou de viajar – apenas adaptou as viagens à sua condição atual. Neste ínterim, a chave de crescer mais o negócio é saber aproveitar as oportunidades que surgem dessa mudança de comportamento dos consumidores/turistas.

Afinal de contas, experiência é o que não falta para Guilherme Paulus, há mais de 40 anos no ramo e um dos mais bem sucedidos empresários brasileiros da atualidade.