Como passar o natal e começar o próximo ano sem dívidas?

A época de fim de ano não é só tempo de alegrias, de paz e de celebrações, mas também de muito gasto. No natal, para realizar uma “senhora” ceia, comprar os presentes e fazer uma festa bonita gastamos muito dinheiro, e não satisfeitos, gastamos ainda no Ano Novo. Por isso, para garantir uma entrada de ano tranquila e sem muitos gastos,

Para se organizar, existem 5 passos que você precisa seguir para ter um cardápio riço e com muita variedade no natal, mas sem extrapolar nas contas.

Antes de tudo, pense na lista de convidados e até mesmo de agregados antes de pensar no menu, já que será um enorme desperdício se vive fizer 5 pratos principais, dois perus, 6 acompanhamentos e 3 sobremesas que serão apenas 6 pessoas na ceiatualidade. Por isso confirme todos que virão e faça apenas um pouco de comida a mais caso algum convidado inesperado apareça, assim, você se organiza de uma maneira melhor e economize fazendo um prato principal em grande quantidade que apeteça a todos, faça acompanhamentos que também costumem agradar como saladas e tipos de arroz, além de sobremesas com frutas da estação.

Para não continuar na mesmice se todo ano e conseguir inovar, manter algumas tradições e ainda assim economizar, busque receitas novas com ingredientes mais baratos, receitas estas que a Internet pode proporcionar. Muitas vezes trocar o tradicional por novidades, mesmo que mais baratas, pode ser a chave para um natal diferente, delicioso e criativo.

Agora você pode estar pensando, é interessante inovar, mas tem aquela receita que faço a hanos que vai bacalhau, nozes ou vinho, e que não estão baratos. Pois bem, se a receita tradicional não pode faltar, pesquise bastante em diversos mercados, já que a diferença de preço pode ser brutal de estabelecimento para estabelecimento.

Não é porque você é o anfitrião que precisa arcar com todas as despesas, por isso, peça para cada convidado contribua com alguma coisa (o que também impede que você fique na cozinha o dia todo preparando inúmeros pratos sozinho (a)) como bebidas, frutas secas ou sobremesas.

Para não haver desperdício e já auxiliar de maneira perceptível na economia calcule as porções, de acordo com a idade, por exemplo.

Seguindo estes passos é possível economizar, agradar a todos e ter um feliz natal sem começar o próximo ano endividado.

PIB brasileiro atinge R$ 1,641 trilhão no final do terceiro trimestre de 2017

O PIB – Produto Interno Bruto – da economia brasileira sofreu uma variação no fechamento do terceiro trimestre de 2017. Essa variação foi de 0,1% no final do terceiro trimestre de 2017 em comparação com o fechamento do segundo trimestre também deste ano. De acordo com o mesmo período em 2016, o crescimento econômico do PIB este ano foi de 1,4%. No acumulado dos últimos 12 meses até setembro, o PIB de 2017 apresentou um recuo de 0,2% em comparação com o mesmo período em 2016. Entre o meses de janeiro e setembro deste ano, o total acumulado foi de alta em relação ao PIB, que cresceu 0,6% neste período comparado com 2016.

Os dados sobre o PIB foram divulgados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, que apontou para os valores correntes de R$ 1,641 trilhão alcançados pelo PIB no acumulado deste ano, sendo que o valor de R$ 1,416 trilhão segue o Valor Adicionado e R$ 225,8 bilhões são referente aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

As atividades industriais apresentaram crescimento de 1,4% para a Indústria de transformação e de 0,2% na Indústria extrativa. Gás, eletricidade, esgoto, água, atividades relacionadas com gestão de resíduos, tiveram um crescimento de 0,1%, e a Construção permaneceu no mesmo lugar, fechando em 0,0%. Serviços e Comércio cresceu 1,6% este ano em relação ao PIB, seguidos pelas Atividades Imobiliárias, que cresceu 0,9%.

Dentre os principais ramos de atividades da economia do país que constituem o PIB, a Agropecuária foi a principal responsável pelo crescimento do PIB em 2017, fechando o terceiro trimestre em 9,1% em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com dados levantados pelo LSPA/IBGE – Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, revelados em novembro deste ano, a produção de alimentos relevantes no terceiro trimestre, como o milho, que teve uma alta de 54,9%, o algodão, com 10,7%, e a produção de laranja, que ficou em 0,1%, conseguiram superar o retrospecto negativo da mandioca, que fechou o terceiro trimestre em (-1,8%), seguidos pela produção de cana de açúcar, com (-6,8%) e de café, com (-7,9%).

 

Edital da União Europeia de pesquisas no Atlântico contará com brasileiros

Um edital no valor de 33 milhões de euros lançados pela União Europeia, podem beneficiar pesquisadores brasileiros relacionadas ao Oceano Atlântico, que teve sua chamada lançada no âmbito do programa Horizon 2020.

Esse edital é o primeiro passo para a implementação dos compromissos que os países assumiram na Declaração de Belém, que foi assinado pela África do Sul, Brasil e Portugal, atendendo aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, em especial o de “conservar e usar sustentavelmente os oceanos, os mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável” (item 14).

A participação do país no edital foi possível devido ao seu interesse no apoio dos esforços para a criação de um plano de desenvolvimento científico para o Atlântico Sul, em conjunto com o trabalho dos pesquisadores, afirma o coordenador-geral de Oceanos, Antártica e Geociências do Ministério de Ciências, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Andrei Polejack. “O programa de trabalho europeu reflete quatro anos de negociações que muito contaram com nossos cientistas, que trouxeram o que se desejava para esta cooperação. Assim, dá-nos imensa satisfação agora poder retornar a essa comunidade com um resultado concreto dessa dedicação, com possibilidades reais de intensificação da cooperação internacional e de projetos de pesquisa que considerem o Atlântico como um só sistema, de polo a polo”, ressalta.

Ele ainda diz estar preparado para atender pesquisadores brasileiros que tiverem interesses em parcerias com grupos da África do Sul e da Europa.

O plano discutido em Lisboa no mês de julho, e constituído pelo Brasil e África do Sul, prevê uma cooperação aprofundada nas pesquisas do Atlântico Sul, Tropical e também de outros oceanos austrais. A relevância do oceano é destacado no documento para as economias e sociedades de ambos os países, perante as influências marinhas como consequência nas atividade agropecuárias, de mineração, pesca e aquicultura, e no transporte e turismo.

Andrei reforça também a necessidade de conhecimento do papel das porções meridionais e tropicais nas alterações climáticas das duas nações, e também dos continentes vizinhos e em todo o planeta.

Áreas-chaves foram identificadas para que haja uma parceria, tais como as mudanças climáticas, o controle de processos de viabilidade de ecossistemas e de recursos marinhos vivos e minerais, a exemplo da biodiversidade.

 

Caixa anuncia liberação de R$ 8,7 bilhões para estabilizar crédito imobiliário

Um novo anúncio feito pela Caixa Econômica Federal no dia 7 de novembro, revelou que a instituição financeira irá liberar um valor de R$ 8,7 bilhões para que o ritmo de contratação para o crédito imobiliário se normalize. Segundo a Caixa, o valor que deverá ser investido será destinado aos pedidos de financiamento imobiliário já aprovados, que estavam paralisados porque o banco estava sem verba para financiar.

O bando ainda informou que o recurso destinado aos financiamentos imobiliários atenderão programa Minha Casa Minha Vida, programa criado pelo governo federal como auxílio no financiamento de imóveis para famílias com renda familiar bruta mensal de no máximo R$ 4.000.

A Caixa também informou que este ano, houve um aumento de cerca de 20% em relação a procura por crédito imobiliário. Esse número maior de solicitação do crédito, fez com que a instituição ficasse sem recursos para realizar os financiamentos.

Dentre todas as modalidades de crédito imobiliário aprovadas pela Caixa, a instituição financeira já emprestou um total de R$ 72,4 bilhões até agora. Os recursos utilizados para os financiamentos imobiliários são devolvidos pelos clientes no tempo determinado com o acréscimo de juros para que o banco possa arrecadar recursos novamente e ainda lucrar com a operação.

As restrições ao crédito imobiliário que ocorreram este ano por parte da Caixa, fazem parte de uma série de outras restrições ao acesso de crédito do banco. Nos últimos meses, a Caixa anunciou medidas que reduziram o financiamento de imóveis usados de 70% para um total de 50% do valor do imóvel. Em relação aos imóveis novos, o limite do financiamento foi reduzido de 90% para um total de 80%, em uma medida que foi anunciada no mês de agosto deste ano.

O banco alegou sobre os recursos que serão investidos: “Aqueles contratos que seriam finalizados pelas agências antes das novas medidas de redução das cotas, cujo o percentual de financiamento poderia atingir até 80%, terão as condições mantidas e prorrogadas até o fim deste mês”.

A expectativa é de que o crédito imobiliário da Caixa volte a se estabilizar com o acréscimo de recursos, tanto para os financiamentos já aprovados quanto para novos financiamentos que poderão voltar a ser financiados em uma porcentagem maior que a atual.

 

Recorde de investidores no Tesouro Direto é alcançado no mês de setembro

Novo recorde é alcançado no total de investidores do Tesouro Direto no mês de setembro deste ano, segundo uma divulgação feita pelo Ministério da Fazenda. Mesmo com o número alto de resgate líquido ocorrido no mês, o número de investimentos no Tesouro Direto no mês de setembro atingiu um valor total de R$ 1,359 bilhão, contabilizando um total de 181.163 operações de investimentos.

Já o número de recompra por títulos públicos chegou a R$ 1,845 bilhão. Dentro desse total, R$ 1,2 bilhão, equivalente a 63,7% do total, foram investidos em títulos indexados ao IPCA (chamados de Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais); 20,6% do total, R$ 380,5 milhões, foram investidos em títulos indexados à Taxa Selic (chamado de Tesouro Selic); e por fim, R$ 288,5 milhões, o que é equivalente a 15,6% do total, foram investidos em títulos públicos prefixados (chamados de Tesouro Prefixado e Tesouro Prefizado com Juros Semestrais).

Em relação aos resgates líquidos gerados no mês de setembro deste ano, o total registrado alcançou R$ 486,6 milhões. Sendo assim, o estoque do Tesouro Direto teve uma queda de 0,1%, ficando com um total de R$ 47,6 bilhões. Essa redução é observada em uma comparação com o mês de agosto, que fechou o mês com um total de R$ 47,7 bilhões no estoque do Tesouro Direto. Contudo, o mês de setembro deste ano registrou uma alta de 30% no valor do estoque em uma comparação com o mesmo mês em 2016, quando houve um fechamento de R$ 36,6 bilhões.

O número maior de investidores acrescidos no mês de setembro que possuem aplicações efetivas foi de 10.390. Sendo assim, o registro de investidores ativos do programa atingiu um total de 541.851 no mês de setembro, o maior patamar já registrado desde que o programa teve início. Em comparação com o mês de setembro de 2016, o número de investidores ativos teve uma alta de 56%.

O número de investidores cadastrados no programa também aumentou no mês de setembro deste ano, foram acrescidos ao todo 60.278 investidores no cadastro. Esse número totaliza um recorde alcançado de participantes inscritos no programa, sendo 1.662.449 pessoas cadastradas. Nos últimos 12 meses, o programa registrou um aumento de 70,7% no total de inscritos no Tesouro Direto.